sexta-feira, 18 de maio de 2018

Marxismo X Cristianismo - A degradação de uma fé

E ele mesmo ainda deixa bem claro que o cristianismo é um lixo:

A GUERRA contra quaisquer CRISTÃO é para nós lei inabalável. Não cremos em postulados eternos de moral, e haveremos de desmascarar o embuste. A moral comunista é sinônimo de luta pelo robustecimento da ditadura proletária” - Vladimir Lenin

Se os brasileiros que aderem aos atuais movimentos feministas, abortistas, gayzistas, racialistas, liberacionistas e ambientalistas estudassem ao menos um pouquinho a história e a unidade por trás de suas manifestações esquerdistas isoladas, talvez um ou dois (não, você aí da Mobilização em Ambientes Virtuais, criada pelo PT, não: você não tem salvação) pensassem duas vezes antes de continuarem sendo usados como massa de manobra revolucionária.

As pessoas se iludem quando pensam no marxismo como doutrina econômica ou política. Economia e política são meros pontos. Marx não acreditava ter apenas as resposta para os problemas econômicos. Acreditava ter todas as respostas para todos os problemas.

O narxismo, na verdade, é uma crença, uma visão de mundo, uma fé. O socialismo nada mais é do que a aplicação dessa fé por um governo totalitário. O comunismo, por sua vez, é apenas a escatologia marxista, o suposto mundo paradisíaco que brotaria de suas profecias.

Então, por estas e outras diversas manifestações opositoras ao que se crê como Bíblico, que tento entender como alguém que vai a uma igreja cristã, senta sua bunda num banco por horas dizendo adorar ao criador representado neste livro sagrado, clama por sua ajuda e quando se afasta das paredes dos templos faz pactos com o opositor do "seu" Deus!! ... 

Dá pra comer com Deus e com o Diabo e continuar de bem com os dois!?

O nosso país está nesta situação não porque os líderes são escrotos, mas porque a massa cristã em sua extrema maioria tem se afastado tanto dos princípios verdadeiros de que deveriam defender, vivendo e pregando tantas asneiras que Deus nos dá as costas como resposta, e colhemos o resultado de nossa falência espiritual.

O problema é que em se tratando de nação, não apenas os pervertidos são punidos, mas todos colhem os frutos daqueles que defendem esta fé marxista, um evangelho que não admite rival.

Só para finalizar, vou lembrar que os marxistas convictos sabem da incompatibilidade entre sua crença e a fé cristã. Os cristãos ainda se iludem com uma possível amizade entre ambos; "... para Marx, de qualquer forma, a religião cristã é uma das mais imorais que há." (Mclellan, op. Cit., p.54). E Lenin, que transformou a teoria marxista em política real, apenas seguiu seu guru. E você, está seguindo qual "guru"!?

ALGUMAS FRASES CELEBRES:
“Por enquanto, a única alternativa concreta é somente uma negação.”
(Herbert Marcuse)

“Precisamos odiar. O ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiar seus pais se eles não são comunistas.”
(V. I. Lenin)

“Somos favoráveis ao terrorismo organizado – isto deve ser admitido francamente.”
(Lenin)

“A principal missão dos outros povos (exceto os alemães, os húngaros e os poloneses) é perecer no Holocausto revolucionário… Esse lixo étnico continuará sendo, até o seu completo extermínio ou desnacionalização, o mais fanático portador da contrarrevolução.”
(Karl Marx)

“As classes e raças, demasiado fracas para dominar as novas condições de vida, devem sucumbir.”
(Karl Marx)

“Não temos compaixão e não lhe pedimos compaixão alguma. Quando chegar a nossa vez, não inventaremos pretextos para o terror.”
(Karl Marx)

Wagner Miranda

domingo, 6 de maio de 2018

Justice Made In Brazil


Escultura do dinamarquês Jens Galschiot, uma justiça obesa, mórbida, sendo carregada por um povo miserável, magro de olhos fundos retrata muito bem a Justiça Brasileira, uma justiça perdulária, corrupta, obesa, ociosa e parasita, sustentada  pelo povo miserável e quebrado com sofrimento. Uma justiça forte para os fracos e fraca para os fortes. Uma justiça que usa o rigor para os fracos e usa os favores para os ricos.

No Brasil o bandido tem mais direitos que o cidadão de bem, e o bandido rico tem direitos a tanta forma de se livrar do crime que faz até vergonha ser honesto neste país
"Os recursos utilizados em um processo estão elencados no Código de Processo Civil, ou caso se trate de matéria penal, no Código de Processo Penal. Vale lembrar que habeas corpus, habeas data, mandado de segurança (individual ou coletivo) e mandado de injunção não são recursos, e sim garantias, apesar de misturarem-se aos recursos nos processos em geral.

De acordo com o Código de Processo Civil em vigor, mais precisamente em seu artigo 496, o ordenamento jurídico brasileiro dispõe de oito tipo de recursos distintos, empregados em diversas fases do processo:
  1. I - apelação: - recurso interposto por petição ao juiz, a partir da emissão da sentença, pela parte vencida
  2. II – agravo: - cabível contra decisões interlocutórias (questões incidentais ao processo) e quando é negada a apelação, ou ainda quanto aos efeitos em que é recebida a apelação, quando o agravo se torna agravo de instrumento.
  3. III - embargos infringentes: - utilizado quando há acórdão não unânime que, analisando a sentença, reforme tal decisão, ou ainda aceitou ação rescisória.
  4. IV - embargos de declaração: - servem para corrigir obscuridade ou contradição na sentença ou houver omissão na qual deveria o juiz ou tribunal se pronunciar.
  5. V - recurso ordinário: cabível ao Supremo Tribunal Federal quando se recorre de mandados de segurança, habeas data e mandados de injunção decididos em única instância pelos outros tribunais.
  6. Vl - recurso especial: interposto perante o Superior Tribunal de Justiça sobre uma decisão judicial proferida por um Tribunal de Justiça ou Tribunal Regional Federal.
  7. Vll - recurso extraordinário: meio utilizado para impugnar no Supremo Tribunal Federal uma decisão judicial proferida por um tribunal estadual ou federal, ou por uma turma recursal de juizado especial que contrarie preceito da constituição. Tanto o recurso especial quanto o extraordinário estão previstos na Constituição Federal (105 e 102, respectivamente)
  8. VIII - embargos de divergência em recurso especial e em recurso extraordinário: utilizado em em recurso especial quando houver divergência de julgamento de outra turma, de seção ou órgão especial, ou no caso de recurso extraordinário, divergir do julgamento da outra turma ou do plenário.

Destes oito tipos, os três últimos (recurso especial, recurso extraordinário e embargos de divergência) foram adicionados posteriormente através de uma lei própria. No caso do recurso especial e do recurso extraordinário, a lei é a 8038 de 1990. Já os embargos de divergência foram introduzidos por meio da lei 8950 de 1994.

Quando o assunto é matéria penal, os recursos cabíveis se encontram no Código de Processo Penal. Mas ao contrário da matéria civil, aqui não há um artigo específico enumerando os recursos, que são diretamente apresentados ao leitor a partir do capítulo II do Título II da obra (DOS RECURSOS EM GERAL), começando com o recurso em sentido estrito, no seu artigo 581. São ao todo oito tipos de recursos diferentes:
  • I - recurso em sentido estrito: interposto nos vários casos elencados no artigo 581 do Código de Processo Penal;
  • II - apelação: cabível nas sentenças do juiz, naquelas não cobertas pelo recurso em sentido estrito e em decisões do tribunal do Júri em caso de nulidade, contrariedade a lei, erro ou injustiça, ou a decisão dos jurados ignorar as provas do caso.
  • III - recurso especial: mesmo recurso da matéria civil, relacionado no artigo 105 da constituição, mas neste caso voltado para matéria penal.
  • IV - recurso extraordinário: mesmo recurso da matéria civil, relacionado no artigo 102 da constituição, mas neste caso voltado para matéria penal.
  • V - embargos de declaração: mesmo recurso da matéria civil, agora, aplicado no campo penal.
  • VI - embargo infringente: mesmo recurso da matéria civil, agora, aplicado no campo penal.
  • VII - revisão criminal: peça exclusiva da defesa, na verdade trata-se de ação impugnativa e não um recurso, e que visa a substituição de uma sentença por outra.
  • VIII - carta testemunhável: instrumento utilizado para o conhecimento de outro recurso, cabível contra decisão que denegar um recurso ou, admitindo-o, o juiz venha a negar sua expedição e seguimento para o tribunal que deveria julgar o recurso." - Fonte

A festa dos ricos: Apelação, Agravo Simples, Agravo Regimental, Agravo retido, Agravo de Instrumento, Embargos Infringentes, Embargos de Declaração, Recurso Ordinário, Recurso Especial, Recurso Extraordinário, Recurso Extraordinário Retido, Recurso Adesivo, Recurso do Recurso, Embargos de Divergência do STF e STJ, Embargo dos Embargos, etc, etc, etc ... Prender rico no Brasil é tarefa pra poucos, pouquíssimos mesmo!

Sendo assim, se pretende ser bandido, então seja bandido da pesada, movimentando milhões e milhões para ter chances de usar todas as brechas que a nossa tal lei pra poucos te dá e sobrar uma grana para pagar os obesos. Mas lembre-se que pode se deparar com um desses pouquíssimos Moros da vida que lutam constantemente para fechar as brechas que os colegas obesos vão abrindo.

Wagner Miranda

terça-feira, 17 de abril de 2018

Brasil consegue afundar mais ainda o fundo do poço


Os programas sociais brasileiros se mostraram ineficazes, a prova disso é que o Brasil está entre os cinco países mais desiguais, diz estudo de centro da ONU, após descobrir que dados apresentados nos últimos 10 anos foram maquiados, como sempre. 1% dos mais ricos do Brasil concentra 23% do total da renda do país, nível bem acima da média internacional, mesmo depois de 14 anos de PT, representando a esquerda salvadora.

Somos um dos países com maior número de bandidos no poder. TODOS os nossos presidentes democráticos estão envolvidos em desvio de recursos, e isso é uma vergonha. O montante roubado pelos nossos políticos, daria para sustentar toda a nossa nação por anos. E estamos falando só do que se sabe até o momento! O país não é só administrado por bandidos, mas a nossa vida é regida por bandidos em todo o território nacional, pois nem eu e nem você como cidadão andamos em total paz nas ruas de nossas cidades, nem ousamos dormir com portas abertas. Mesmo morando no centro da cidade, preciso pagar bandidos dominantes para evitar ser roubado em meu trabalho.Vivemos sob o regime de bandidos, seja em nossa rua, nosso bairro, nossa cidade, estado ou país.

Nossa educação afundou tanto no poço que perdemos todas as posições elogiáveis que conquistamos a duros passos. Hoje mais vale um pedaço de papel na parede do que o conhecimento de fato. Temos um monte de analfabeto acadêmico lotando as academias intelectuais da vida. Nossos professores deixaram de ser educadores para serem politiqueiros, defendendo suas ideologias na educação forçada de nossos adolescentes, quando deveriam focar cada segundo em passar o conhecimento ao qual foram destinados. Vi isso na história de Hitler, Mussolini, etc.

Nosso sistema de saúde está carcomido e desumanizado, tornando uma simples gripe em qualquer um de nós em um pesadelo de terror se vamos ou não garantir nossa saúde de volta, já que além de podermos cair em mãos de ignorantes acadêmicos ou mesmo por falta de um mínimo de recursos para o atendimento, mesmo pagando um dos mais altos percentuais de nossos ganhos em impostos.

Os bens do Brasil estão sendo corroídos por ratos escrotos a exemplo da Petrobras que quase vai à falência, assim como outras estatais corroídas de igual modo.

Então se conseguirmos afundar mais do que isso, realmente merecemos uma ditadura de verdade, não esse militarismo que tivemos onde as casas funcionavam e poucos direitos foram retirados.

Qualquer democracia sem controle, vira anarquia. Toda democracia tem que ser regida por leis e leis severas, e é preciso um mínimo de censura para se manter uma nação em ordem. Muita liberdade com mentes tão diferentes leva ao caos. A não ser que prefira o caos.

Wagner Miranda

Os dados podem ser encontrados no site das nacoesunidas.org

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Lula é desmascarado pela ONU. Estudo comprova uma década e meia de mentiras do PT


O ex-presidente Lula e os representantes do PT foram desmentidos por um dos mais profundos estudos sobre a pobreza no Brasil entre os anos de 2010 e 2014. Os indicadores apontam que durante os governos do PT de Lula e Dilma, nada se avançou no combate a desigualdade social no país ao longo de toda a era PT. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 22.

 O Radar IDHM, índice que compara as tendências de crescimento dos indicadores sociais na década de 2000 a 2010 e no período de 2011 a 2014. O estudo comprova que o Brasil perdeu a batalha para redução da desigualdade nos primeiros quatro anos desta década. Estudo feito pelo Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (Pnud) em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.

A conclusão foi a de que o Brasil não conseguiu, em 14 anos, diminuir o fosso entre ricos e pobres. O estudo comprova que o discurso de Lula e dos integrantes do PT é meramente uma peça de marketing, enquanto os mais pobres continuam a sentir na pele o drama da pobreza e da desigualdade social.

Se comparado a outros países como México, Chile e Colômbia, a conclusão é a de que o povo brasileiro regrediu nas conquistas econômicas e sociais entre o período e que os avanços foram maiores no estudo anterior aos governos do PT.

Outro aspecto que chama a atenção é que o estudo foi realizado durante o período de maior prosperidade dos governos petistas. Os danos na economia causados pela corrupção na Petrobras começaram a ser sentidos justamente após o ano de 2014, o último avaliado na pesquisa. De lá para cá, mais de 12 milhões de brasileiros ficaram sem emprego, o que significa que o fosso que separa os pobres dos ricos aumentou, enquanto a renda das famílias diminuiu ainda mais.

Entre 2000 e 2010, anos dos dois mandatos de Lula, o  Índice de Gini, que mede o nível de desigualdade, aponta que o Brasil teve uma redução da pobreza de 0,6% de 2000 a 2010, mesma proporção identificada para o período de  2011 a 2014. O valor foi considerado inexpressivo pelos especialistas, considerando que mesmo países em guerra tiveram evolução bem maior.

As políticas de transferência de renda e de valorização do salário mínimo alegadas por Lula e Dilma não foram suficientes para mudar de forma significativa a distância dos mais pobres para os mais ricos. As projeções mostram que a desigualdade no Brasil é tão intensa que, mesmo quando a renda do pobre cresce o dobro em relação ao crescimento dos rendimentos dos mais ricos, o impacto na desigualdade ainda não é imediato.

“A desigualdade continua sendo um desafio para o Brasil. A gente consegue aliviar a pobreza, tirar as pessoas da situação de extrema pobreza, mas as pessoas que ganham mais continuam ganhando mais ainda. Então, o fosso da desigualdade continua numa tendência bastante estável”, explica Andréa Bolzon, coordenadora do relatório de Desenvolvimento Humano Nacional do Pnud no Brasil.

O estudo não traz detalhes sobre as causas das mudanças nos indicadores sociais, mas para o Pnud, a desigualdade leva em consideração não somente a diferença de renda, mas também disparidades territoriais, de gênero e raça.

Tanto Radar IDHM como o IDHM são compostos por três indicadores de desenvolvimento humano: longevidade, educação e renda. O índice varia de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano. São cinco classificações: muito baixo, baixo, médio, alto e muito alto.

Outra mentira de Lula e do PT. Autores do trabalho mostraram-se especialmente preocupados com o desempenho na área da educação. "Esse é o grande gargalo", constata Andrea. O documento chama a atenção, por exemplo, para a estagnação no porcentual de pessoas com 18 anos ou mais que apresentem ensino fundamental completo. Em 2011, representavam 60,1% do total. Em 2014, eram 61,8%.

De acordo com os estudos, os avanços sociais obtidos pelos mais pobres durante a era PT foram inferiores aos observados no país durante as décadas de 60, 70, 80 e 90. Já para os mais ricos, as administrações petistas foram bastante positivas. Especialmente para os bancos, empreiteiras. 

domingo, 1 de abril de 2018

Escola tenta conter desesperados no trânsito em Jequié e prefeitura embarga


Jequié é uma cidade onde o trânsito beira o caos. A anarquia automotiva é lei do mais forte. O respeito às leis de trânsito é uma fantasia utópica desde os primórdios desta província indígena. Os líderes que por aqui passaram, sempre brincaram de governar e a sobrevivência da população é baseada nas migalhas que estes senhores feudais deixam cair. Como não havia de ser diferente, o atual rei da província só atende às necessidades que melhor lhes condiz e a população que se vire.

O trânsito aqui reflete não apenas os governantes em suas funções administrativas, mas principalmente o desespero dos empresários, comerciantes, pais, mães, idosos... de cada cidadão que doa seu sangue para que os politiqueiros desta cidade vivam o seu reinado, e nós, meros mortais que demos um jeito de vencer mais um dia.

Diante de tanta barbárie automotiva, estão os estudantes que, mesmo em suas escolas, ficam à mercê dos ignorantes e desesperados atrás dos volantes que por viverem em uma cidade sem ordem no trânsito, não respeitam nem mesmo as pequenas regras de boa convivência passando diante das escolas a 60, 80 até 100 km/h. Para conter os desesperados, precisaríamos de um órgão de trânsito que funcione, ou um controlador bárbaro como o redutor de velocidade que obrigaria o indivíduo a respeitar as leis à força.

Como não temos um órgão de trânsito que funcione a opção é solicitar a implantação bárbara do redutor, o que muitas escolas tem feito constantemente pelo temor de ver um ou vários de seus alunos envolvidos em uma tragédia anunciada. A Escola Bem Querer é um exemplo clássico desse descaso dos administradores políticos desta cidade. Seus professores vivem em constante alerta com seus alunos devido ao abandono do prefeito e ao caos gerado pelos condutores desesperados e atormentados que cruzam seu caminho. Da mesma forma a Escola Construindo o Futuro também fez solicitações via ofícios, abaixo-assinado, solicitações a vereadores, secretários e todos que poderiam resolver, porém deram as costas como respostas. Eu pessoalmente já fiz diversas solicitações como pai e como blogueiro. Além das solicitações, ambas as escolas já se propuseram a bancar os custos que deveriam ser do município, mas para resolverem o problema se propuseram a tirar do bolso os valores necessários só pedindo um especialista (se é que tem isso em Jequié!), mas o poder público, como sempre, inútil.


Em um ato desesperado de resolução, a Escola Construindo o Futuro tentou escrever um futuro melhor para seus alunos iniciando as obras de um redutor, mesmo sem a ajuda profissional dos nossos empregados públicos que só mandam por quatro anos, mas que se sentem reis e rainhas no poder e, após a ação privada, eles apareceram (finalmente) como num passe de mágica, mas não para ajudar na resolução do problema (não mesmo), mas para embargar a obra e colocar a escola no paredão de fuzilamento, rastreando cada pedacinho de papel da escola para achar um meio de acabar com o problema de vez: eliminando a escola que ameaça o reinado dos senhores feudais. Mas a escola está em dia com o reinado. Qual a solução então!? Esta é uma cena para o próximo capítulo.

Senhores políticos, vocês ganham e ganham muito bem para administrar a cidade, dando a seus cidadãos o mínimo necessário para termos uma vida digna, e isto deveria começar com nossos estudantes. Cuide das crianças e teremos adultos melhores, trate-os com descaso e teremos mais políticos ao invés de engenheiros, médicos, professores, enfermeiros, etc. Precisamos de homens e mulheres que saibam o que é moral e ética, não de mais políticos.

Resolvam o problema das escolas, já que não conseguem ou não querem resolver o problema do trânsito. As crianças podem não ser importantes para os políticos, pois não geram votos, mas os pais, os tios, os avós, os parentes das crianças votam, e nas próximas eleições teremos as redes sociais para não deixar o povo esquecer quem são os políticos e quem são os politiqueiros.

Parabéns à Escola Construindo o Futuro por estarem preocupados com o futuro de suas crianças. Lutar contra os senhores feudais sempre foi uma luta do povo.
- Wagner Miranda será 

O que é verdade e o que é invenção em 'O Mecanismo', a série da Netflix sobre a Lava Jato

André Shalders - @shaldim / Da BBC Brasil em São Paulo


Atenção: a reportagem contém "spoilers" (revelações sobre a trama).

A série Narcos, que foi ao ar em 2015, constrói seu enredo misturando elementos de verdade com outros de ficção. Os "mocinhos" de Narcos - dois agentes do Dea, o departamento de narcóticos dos EUA - existem na vida real e deram consultoria aos produtores da série. Agora, o cineasta brasileiro José Padilha - que participou de Narcos - repetiu o mesmo método em sua nova série na Netflix, O Mecanismo, uma ficção baseada em fatos reais da operação Lava Jato.

Em Narcos, a mistura de ficção com realidade não gerou protestos do público brasileiro. Mas com O Mecanismo foi diferente: simpatizantes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT protestaram nas redes sociais pelo fato da série ter atribuído ao personagem João Higino, que representa o petista, uma frase que na vida real foi dita pelo senador Romero Jucá (MDB-RR). A frase é famosa: Jucá fala em "estancar a sangria" das investigações de corrupção da operação Lava Jato.

O Mecanismo é descrita por seus criadores como uma "obra de ficção inspirada livremente em eventos reais". "Personagens, situações e outros elementos foram adaptados para efeito dramático", diz uma tela que é repetida ao começo de cada episódio.

Entidades e empresas que existem no mundo real tiveram seus nomes trocados na série. O PT (Partido dos Trabalhadores), passa a chamar-se "PO" (Partido Operário); a Petrobras vira "Petrobrasil"; e a empreiteira Galvão Engenharia passa a chamar-se "Bueno Engenharia".

O mesmo acontece com os personagens. Em vários casos, os nomes foram pensados para ter semelhança com o de pessoas reais. Assim, a personagem que representa a ex-presidente Dilma Rousseff foi batizada de "Janete Ruscov"; Michel Temer vira "Samuel Thames", e a delegada Erika Marena é representada por "Verena Cardoni". O mesmo é verdade para os doleiros Alberto Youssef ("Roberto Ibrahim"), Carlos Habib Chater ("Chebab"), e Nelma Kodama ("Wilma Kitano").

Já o ex-ministro da Justiça e advogado Márcio Thomaz Bastos (1935-2014) aparece na série como "Mário Garcez Brito", ou "O Mago": o personagem é uma espécie de super-lobista e advogado defensor de empreiteiras encrencadas com a Justiça.

Na vida real a coisa é mais complexa: Thomaz Bastos realmente trabalhou para empreiteiras da Lava Jato no fim da vida, mas foi também o principal responsável pela reestruturação e aumento da capacidade da Polícia Federal ("Polícia Federativa", na série) durante sua passagem pelo Ministério da Justiça (2003-2007).

Em uma entrevista por escrito ao site Observatório do Cinema, publicada no último domingo, José Padilha disse que a polêmica em torno da frase sobre "estancar a sangria" é "boboca". "(...) A repetição do uso de uma expressão idiomática comum, como 'estancar a sangria', não guarda qualquer significado. (O ex-senador) Delcídio (do Amaral) usou a expressão 'acordo'. Se Higino falar 'acordo' ele é o Delcídio? O fato de o Jucá ter usado a expressão 'estancar a sangria' não a interdita", disse ele.

A reportagem procurou José Padilha por meio de sua assessoria, mas não houve resposta até o fechamento.

O que é verdade e o que é invenção na série de José Padilha? A reportagem da BBC Brasil explica como aconteceram na vida real alguns dos episódios retratados na produção da Netflix.

1. Lula falou sobre "estancar a sangria"? Falso
Na série dirigida por José Padilha, a frase é dita pelo personagem José Higino (que representa o ex-presidente Lula) ao "Mago", inspirado em Márcio Thomaz Bastos. O diálogo fictício ocorre em 2014, antes das eleições presidenciais. Mas a cena é fantasiosa.

Na vida real a frase foi dita pelo senador Romero Jucá (MDB-RR), ao ex-presidente da Transpetro e delator da Lava Jato, Sérgio Machado. A conversa foi gravada por Machado e entregue às autoridades como parte de seu acordo de delação. O período também é outro: o diálogo real ocorreu em março de 2015, já com Dilma Rousseff (PT) reeleita, e com alguns dos principais empreiteiros do país na cadeia.

Sérgio Machado diz a Jucá que o senador precisa encontrar algum jeito de evitar que seu caso "desça" para Curitiba, sob o juiz federal Sérgio Moro. Jucá: "(A solução) tem que ser política, advogado não encontra (...). Se é político, como é a política? Tem que resolver essa p****... Tem que mudar o governo para poder estancar essa sangria", diz ele, no áudio verdadeiro, captado antes do processo de impeachment que apeou Dilma da cadeira.


2. A prisão de Youssef em 2014 aconteceu daquele jeito mesmo? Verdadeiro, mas…
Na série, o doleiro Roberto Ibrahim aproveita-se de um descuido do agente "China" (que representa o policial federal aposentado Newton Ishii, o "Japonês da Federal") para pegar um jatinho no aeroporto de Congonhas (SP) e se mandar para Brasília.

O comando da PF no Paraná chega a interromper a operação, mas de repente a sorte dos protagonistas muda: Ibrahim (Youssef) reaparece no radar dos policiais, já na capital federal. O agente liga no hotel, e Ibrahim atende. Ele retorna a ligação e descobre que a chamada veio da PF - e deduz que seria preso.

Desconfiando da prisão iminente, o doleiro sobe até outro quarto do hotel e entrega uma mala de dinheiro a um comparsa que viajava com ele. "Vou ser preso amanhã. Faz o pagamento aí", diz, com calma.

A cena é real - inclusive a ligação para a PF e a mala de dinheiro. A diferença é que Ishii não deixou Youssef escapar e o doleiro tampouco estava em Brasília no momento da prisão.

Quando foi detido, Youssef estava no quarto nº 704 do Hotel Luzeiros, um dos mais requintados de São Luís (MA), com vista para o mar. Segundo o Ministério Público, a mala continha R$ 1,4 milhão em propina, vinda da empreiteira UTC, e que seria paga a um secretário do governo maranhense, na gestão de Roseana Sarney (MDB). A prisão ocorreu em 17 de março de 2014. A ex-governadora nega irregularidades.

3. O posto de gasolina de Yousseff realmente existe? Verdadeiro
Na série, o local é chamado de "Posto da Antena". Na vida real, o estabelecimento funciona até hoje - trata-se do Posto da Torre, localizado no Setor Hoteleiro Sul, ao lado da Torre de TV, um dos cartões-postais de Brasília. O empreendimento foi alvo da primeira fase da Lava Jato.

Além de 16 bombas de combustíveis, o Posto da Torre abrigava uma lanchonete especializada em kebab e uma casa de câmbio - além de um lava-jato. O estabelecimento era comandado por Carlos Habib Chater, sócio de Youssef. Na série, Chater é representado pelo personagem "Chebab". Na vida real, o posto também serviu para de inspiração para a delegada Erika Marena ("Verena Cardoni") cunhar o nome "Lava Jato" para a operação.

4. Youssef circulava pelo comitê de campanha de Dilma Rousseff? Falso
Logo no começo da série, o personagem Roberto Ibrahim (que representa o doleiro Alberto Youssef) aparece em uma cena dentro do comitê de campanha do "Partido Operário" - na vida real, o comitê de Dilma Rousseff (PT). "Você quer quanto? R$ 500 (mil) resolve, para esta semana?", pergunta o personagem a uma integrante do staff fictício. "R$ 600 (mil), meu amor. Para agora", responde ela.

Na vida real, esta cena jamais poderia ter acontecido: durante a campanha eleitoral de 2014, Alberto Youssef estava preso em Curitiba, no Paraná (ele foi detido na 1ª fase da Lava Jato, em 17 de março de 2014, e ficou na cadeia até 17 de novembro de 2016).

Entretanto, para o Ministério Público, há provas de que a campanha presidencial de Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014 usou dinheiro proveniente do esquema de corrupção da Lava Jato. Em junho de 2017, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou a questão - o relator do caso, ministro Herman Benjamin, concordou com a avaliação do Ministério Público, mas foi derrotado em plenário: por quatro votos a três, os ministros do TSE rejeitaram a cassação da chapa Dilma-Temer. PT e MDB negam ter usado dinheiro do crime para financiar a campanha.

5. O policial Marco Rufo existiu realmente e fuçou extratos no lixo? Não foi bem assim...
Assim como outras figuras da série, o policial Marco Rufo é baseado em uma pessoa real - neste caso, um ex-delegado da PF, hoje aposentado, chamado Gerson Machado. Assim como Rufo, Machado é de Londrina (PR). Esta é também a cidade natal de Alberto Youssef (na série, Roberto Ibrahim).

Assim como Rufo - o da ficção - Machado investigou Youssef, e disse ter sido acusado de "perseguição" pelo doleiro. Na vida real, Machado abriu um inquérito sobre o caso em 2008, anos antes da Lava Jato começar. Ao jornal O Estado de S. Paulo, Machado disse em 2016 que foi afastado das investigações e depois "foi aposentado" precocemente, aos 49 anos de idade, em 2013. O afastamento o deixou deprimido.

Na série, porém, Marco Rufo conhece Ibrahim desde a infância; está na cola do doleiro desde o caso Banestado (na década de 1990), e sofre de transtorno bipolar. Além disso, vasculha o lixo do doleiro para tentar coletar provas e comete outros atos ilegais ao longo da série (como destruir a marretadas uma motocicleta de luxo dos investigados).

Na vida real, os investigadores da Lava Jato usam uma série de softwares de análise de dados, inclusive para fazer o cruzamento de informações financeiras obtidas com ordem judicial junto ao sistema financeiro nacional. Nunca coletaram nada no lixo dos investigados, até onde se sabe.

6. Youssef realmente foi preso e fez delação uma década antes da Lava Jato? Verdadeiro, mas…
Em 1969, o Banco Central do Brasil editou uma norma, a Carta Circular nº 5, com o objetivo de facilitar a vida de brasileiros vivendo no exterior. A norma criou um tipo de conta bancária - batizada de CC5 em referência à Circular do BC - que permitia depositar dinheiro em moeda estrangeira no Brasil e sacá-lo no exterior.

Entre 1996 e 2003, um grupo de doleiros utilizou as contas CC5 do Banco do Estado do Paraná, o antigo Banestado, para enviar cerca de US$ 30 bilhões para fora do país. Um deles era Alberto Youssef. Ele admitiu mais tarde que efetivamente pagou propina, em nome de empresas, aos dirigentes do Banestado, para facilitar empréstimos a essas empresas. O nome do banco batizou o escândalo.

Youssef fechou seu primeiro acordo de delação premiada em 2004 - o acordo foi homologado pelo juiz Sérgio Moro. Em 2014, na segunda prisão do doleiro, o mesmo juiz invalidou o acordo de 2004.

A história é contada de forma resumida pela série de José Padilha - inclusive com uma menção às contas CC5. Mas há pelo menos dois pontos que merecem reparos. Ao ser preso, Youssef diz que não vai ficar muito tempo preso, já que o seu advogado "é o ministro da Justiça". Naquela época, o ministro era Márcio Thomaz Bastos ("O Mago", na série). Bastos nunca defendeu Youssef. Além disso, a série deixa de mencionar o fato de o esquema ter começado a funcionar em 1996, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).
Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/brasil-43550506

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Racismo - Day McCarthy ataca filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

AS 45 METAS COMUNISTAS – IMPLANTAÇÃO DO PT NO BRASIL...

Recomendado à Pais, Professores, Líderes Evangélicos, Formadores de Opinião! Tire suas próprias conclusões.


No livro “O Comunista Nu” de Cleon Skousen (ex-agente do FBI) são apresentadas 45 metas comunistas (muitas delas já consumadas ou em processo muito avançado) para derrubar os EUA e tomar o ocidente, a partir de 1958.
  1. Aceitação, por parte dos EUA, da coexistência como única alternativa à guerra atômica.
  2. Boa vontade dos Estados Unidos em desistir como melhor opção para evitar uma guerra atômica.
  3. Desenvolver a ilusão de que o desarmamento total dos Estados Unidos seria uma demonstração de superioridade moral.
  4. Permitir comércio livre entre todas as nações independente da filiação comunista e independente de serem ou não itens que poderiam ser usados para guerra.
  5. Extensão de empréstimos de longo prazo para a Rússia e satélites soviéticos.
  6. Fornecer ajuda americana para todas as nações independente da dominação comunista.
  7. Conceder reconhecimento da China Vermelha. Admissão da China para a ONU.
  8. Configurar Alemanha Ocidental e Oriental como estados independentes apesar da promessa de Khrushchev's em 1955 de resolver a questão alemã por eleições livres sob supervisão da O.N.U.
  9. Prolongar as conferências sobre proibição de testes atômicos, pois os Estados Unidos concordaram em suspender os testes, enquanto as negociações estivessem em andamento.
  10. Permitir a todos os satélites soviéticos representação independente/individual na O.N.U.
  11. Promover a ONU como a única esperança para a humanidade. Se sua carta [das Nações Unidas] é reescrita, exigir que seja estabelecido um governo mundial com direito à forças armadas próprias e independentes.
  12. Resistir a qualquer tentativa de proibir/ilegalizar o Partido Comunista.
  13. Acabar com todos os juramentos de fidelidade.
  14. Continuar dando acesso a Rússia ao Escritório de Patentes dos E.U.A.
  15. Capturar um ou ambos os partidos políticos dos Estados Unidos.
  16. Usar decisões de caráter técnico dos tribunais para enfraquecer instituições americanas de base/fundamentais, alegando que suas atividades violam os direitos civis.
  17. Tomar o controle das escolas. Usá-las como centros de transmissão para as propagandas socialista, e comunista atual. Tomar o controle de associações de professores. Inserir linha ideológica nos livros didáticos.
  18. Adquirir o controle de todos os jornais estudantis;
  19. Utilizar-se de revoltas estudantis para incitar manifestações públicas contra programas e organizações que estão sob ataque comunista.
  20. Infiltrar-se na imprensa. Tomar o controle da cessão de crítica literária, redação do editorial, posicionamento político.
  21. Adquirir o controle de postos-chave na rádio, TV, e cinema.
  22. Continuar desacreditando a cultura americana através da degradação de formas de expressão artísticas. Skousen alegou que uma célula comunista americana lhe contou: "eliminar todas as boas esculturas dos parques e prédios, substituir por estruturas: disformes, estranhas e sem sentido.
  23. Controlar os críticos de arte e diretores de museus de arte.
  24. Eliminar todas as leis que regulam a obscenidade, chamando-as de "censura" e violão da liberdade de expressão e liberdade de imprensa.
  25. Derrubar os padrões de cultura e moralidade, promovendo pornografia e obscenidade em livros, revistas, filmes, radio e televisão.
  26. Apresentar homossexualidade, degeneração e promiscuidade como "normais, naturais, saudáveis." Skousen alegou que os comunistas procuraram incentivar a prática da masturbação.
  27. Infiltrar-se nas igrejas e substituir a religião de revelação por uma religião "social". Desacreditando a Bíblia e enfatizando a necessidade de maturidade intelectual que não necessita de uma "muleta religiosa".
  28. Eliminar orações ou qualquer forma de expressão religiosa nas escolas sobre o fundamento de que viola o princípio de "separação entre igreja e estado."
  29. Desacreditar a Constituição Americana, rotulando-a de inadequada, antiquada/fora de moda, fora de sintonia com as necessidades modernas, obstáculo para a cooperação entre as nações a nível mundial.
  30. Desacreditar os Pais Fundadores da América. Apresenta-los como aristocratas egoístas que não tinha preocupação com o "homem comum".
  31. Depreciar todas as formas de cultura americana e desencorajar o ensino de história americana sobre o fundamento de que era apenas uma pequena parte da "imagem global". Dar mais ênfase à história russa desde que os comunistas assumiram.
  32. Apoiar qualquer movimento socialista para dar controle central sobre qualquer aspecto da cultura - educação, entidades sociais, programas de bem-estar, clínicas de saúde mental, etc.
  33. Eliminar todas as leis ou procedimentos que interferem no funcionamento do aparelho Comunista.
  34. Eliminar a Comitê de Atividades Anti-Americanas.
  35. Desacreditar e finalmente desmantelar o FBI.
  36. Infiltrar-se e adquirir o controle de mais sindicatos.
  37. Infiltrar-se e adquirir o controle de grande negócios.
  38. Transferir alguns poderes de prisão da polícia para entidades sociais. Tratar todos os problemas comportamentais como desordens psiquiátricas que ninguém senão psiquiatras podem compreender ou tratar.
  39. Dominar o carreira psiquiátrica e usar as leis de saúde mental como um meio de obter controle coercitivo sobre aqueles que se opõem aos objetivos comunistas.
  40. Desacreditar a família enquanto instituição. Encorajar a promiscuidade, masturbação e divórcio fácil.
  41. Enfatizar a necessidade de criar os filhos longe da negativa influência dos pais. Atribuir: preconceitos, bloqueios mentais e retardo de crianças à influência supressiva dos pais.
  42. Criar a impressão de que a violência e a insurreição são aspectos legítimos da tradição americana; que estudantes e grupos de interesses deveriam se levantar e "unir as forças" para resolver problemas econômicos, políticos, e sociais.
  43. Derrubar todos os governos coloniais antes que as populações nativas estejam prontas para se auto-governar.
  44. Internacionalizar o Canal do Panamá.
  45. Revogar a "reserva" Connally para que os Estados Unidos não possam impedir que o Tribunal Internacional de Justiça interfira na jurisdição do país, em seus problemas domésticos. Dar ao Tribunal Internacional de Justiça jurisdição sobre as nações e indivíduos.


terça-feira, 31 de outubro de 2017

31 de Outubro - Boicote ao Dia do Evangélico em Jequié


O Dia do Evangélico aprovado pela Prefeitura Municipal de Jequié se mostrou um imenso fiasco e uma fonte de renda para o Sindicato, já que a maioria dos comerciantes abriram as portas normalmente após serem levados a pagar um taxa de R$ 20,00 cada ao Sindicato dos Comerciários, por assinarem um "acordo coletivo, e quem não pagou por não ter assinado, foi obrigado a baixar as portas.
No final, sempre quem "paga o pato" são os empresários. Segundo um representante do sindicato em um momento de autuação, ao ser repreendido por clientes declarou que "mais de 5.000 comerciantes" assinaram o acordo que os permitia trabalhar, o que resulta numa arrecadação de mais de R$ 100.000,00 (única "empresa" a lucrar com o feriado!)... Porém, o mais interessante é que segundo o IBGE temos apenas 1.162 empregadores, e pouco menos de 3.500 empresas atuantes.
Mas independente da quantidade de empresas e empregadores, o Sindicato dos Comerciários foi o maior beneficiado pelo fiasco do feriado do dia 31 de outubro, os mais prejudicados foram os comerciantes e os mais humilhados foram os evangélicos queriam comemorar a data com os luteranos, os poetas, as donas de casa, os sacis e as bruxas e após enfrentar muitas criticas e desaprovação, terão que escolher para 2018 uma outra data no mês de agosto para ter um "Dia do Evangélico".

Dia 31 de outubro é dia de quê?


- Dia da Dona de Casa {Feriado: Não}
  (setembro/2011 entrou em vigor a Lei 12.470/2011)
- Dia Nacional da Poesia  {Feriado: Não}
  (3 de junho de 2015, foi sancionada a lei 13.131)
- Dia do Saci Pererê {Feriado: Não}
  (projeto de lei federal nº 2.762, de 2003)
- Dia do Halloween  {Feriado: Não}
  (desde 800 a.C.)

- Dia do Evangélico::: 
  31 de Outubro (Jequié) {Feriado: SIM - Inventaram agora em Jequié}

Comemoram ainda nos dias:
  14 de Fevereiro (Bom Jesus da Serra) {Feriado: Não}
  15 de Abril (Quixeramobim-CE / Lajes-RN)
  18 de Junho (RO) {Feriado: Sim}
  07 de Julho (TO) {Feriado: Não}
  17 de Agosto (GO)  {Feriado: Sim}
           24 de Outubro (Acreuna)
  22 de Agosto (Malhada-BA) {Feriado: Não}
  10 de Setembro (PI) {Feriado: Não}
  30 de Novembro (DF / AP) {Feriado: Não}
  Ufa ...
  Entre outras datas perdidas por aí.

Ô povo complicado esses evangélicos!!!

O Halloween tem quase 3.000 anos e não teve problemas. O Saci Pererê, para se conectar ao folclore da data mundialmente conhecida e difundida antes mesmo do cristianismo sequer sonhar em existir, tem 14 anos e não teve problema algum. Os poetas e donas de casa nem esquentam com a data. Mas foram os "evangélicos" entrarem no jogo por um pedacinho do dia, e começou a confusão, tanta confusão que nem eles mesmos sabem que dia comemorar a existência do evangelho.
O dia 31 é baseado no rompimento do monge Lutero com o clero cristão da época, porém a tal teologia da prosperidade está muito fora do contexto de Lutero, mas na soma para lutarem pelo Dia das Bruxas, vale tudo e todas as linhas se uniram num ecumenismo frenético a fim de comemorar com vampiros, duendes, gnomos, bruxas, magos, etc, o nascimento de uma briga entre os cristãos!!!
Vai entender!

Em Jequié, terra de aposentados e funcionários públicos, uma cidade comercialmente fraca e pobre de industrias, resultou em mais um feriado municipal exatamente no mês em que já tem um feriado municipal que colide com um feriado nacional, resultando em um colapso comercial.

Wagner Miranda

31 de Outubro - Halloween - Dia das Bruxas a mais de 2500 anos


O Halloween é uma festa comemorativa celebrada todo ano no dia 31 de outubro, véspera do dia de Todos os Santos. Ela é realizada em grande parte dos países ocidentais, porém é mais representativa nos Estados Unidos. Neste país, levada pelos imigrantes irlandeses, ela chegou em meados do século XIX.

Surgiu entre o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.

Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa eclética durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição imposta pela Igreja Cristã.

Porém muitos cristãos abastados tinham suas abóboras em casa e bastava pagar para ficar na surdina sem "ninguém ver" (a corrupção é antiga). Com o fim da inquisição, os "santos" se manifestaram e oficializaram a data como apenas uma brincadeira anual. Mas depois de um tempo, surgiram várias igrejas diferentes nos EUA, a maioria dizendo que tudo é do demônio, incluindo pinga, farofa, árvore de Natal, cartas de Yu-Gi-Oh! e outras coisas comuns por aí, mais o Dia das Bruxas, é claro. Aquele monte de criaturas nefastas e sombrias que enfeitavam as cidades todo ano só poderiam ser coisa do diabo, segundo tais empresas, ops, igrejas.

Esta festa, por estar relacionada em sua origem à morte, resgata elementos e figuras assustadoras. São símbolos comuns desta festa: fantasmas, bruxas, zumbis, caveiras, monstros, gatos negros e até personagens como Drácula e Frankenstein.

As crianças são as principais protagonistas desta festa. Usam fantasias assustadoras e partem de porta em porta na vizinhança, onde soltam a frase “doçura ou travessura”. Felizes, terminam a noite do 31 de outubro, com sacos cheios de guloseimas, balas, chocolates e doces.

Então, com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados para enaltecer os mortos e vender mais velas e flores (2 de novembro).


No Brasil a comemoração desta data é bem recente. Chegou ao nosso país através da grande influência da cultura americana, principalmente vinda pela televisão e internet. Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa em território nacional, pois valorizam e comemoram esta data com seus alunos: uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.

Porém o pânico dos evangélicos, pentecostais e neo-pentecostais é nítido, já que o medo da morte estampado em suas crenças, os aterroriza diariamente, e vivenciar seres do além percorrendo suas ruas no dia 31 é demais para eles. Sendo assim, as imagens valorizadas no Halloween são negativas e contrárias à pratica do bem, dizem os religiosos.



Diante desse "mal", eles se uniram em uma só fé, deixando de lado suas diferenças e lutando para tornar o dia 31 em "dia dos evangélicos", e muitas cidades brasileiras já adotaram tal ideologia na luta para esmagar uma festa cultural de quase 3000 anos!

Então tá. Feliz dia do Halloween!!!


Wagner Miranda
Fonte 1 | Fonte 2 | Fonte 3 | Fonte 4 | Fonte 5

31 de Outubro - Dia do Saci-Pererê

O Dia do Saci consta do projeto de lei federal nº 2.762, de 2003, elaborado pelo deputado federal Chico Alencar, (PSOL - RJ) e pela vereadora de São José dos Campos Ângela Guadagnin (PT - SP), com o objetivo de resgatar figuras do folclore brasileiro, em contraposição ao "Dia das Bruxas", ou Halloween, de tradição cultural celta - Ô inveja!

Anteriormente, leis semelhantes foram aprovadas pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo e na Câmara Municipal de São Paulo. O Estado de São Paulo oficializou a data com a Lei nº 11.669, de 13 de janeiro de 2004. Outros dez municípios paulistas, além da capital, já haviam feito o mesmo: São Luiz do Paraitinga (onde a festa dedicada ao saci dura quase duas semanas), São José do Rio Preto, Guaratinguetá e Embu das Artes. Em municípios de outros Estados brasileiros, o Dia do Saci foi oficializado: em Vitória (Espírito Santo); Poços de Caldas e Uberaba (Minas Gerais); Fortaleza e Independência (Ceará) e Florianópolis (Santa Catarina).

Esse afrodescendente, pobre, brasileiro, com necessidades especiais, fumante ativo, que não tira o cachimbo da boca, usa gorro púrpura e apronta travessuras com pessoas e animais, é nada mais que uma variação de duende vinda para o Brasil em navios negreiros, mas é provavelmente uma atualização de um mito indígena, como a maior parte das lendas e folclore brasileiros. Ao se espalhar por diferentes partes do Brasil, ganhou as características atuais, com forte influência africana. Monteiro Lobato foi um responsável direto pela fama do Saci, personagem sempre presente nas aventuras do Sítio do Pica-pau Amarelo e protagonista de livros e pesquisas do escritor. Com sua trupe de curupiras, iaras, mulas-sem-cabeça, tupãs, cucas, o Saci-pererê se tornou o personagem mais famoso do folclore brasileiro, mas não conseguiu ganhar o mundo.

Conta a lenda que Saci perdeu a perna numa roda de capoeira, e que é um profundo conhecedor das ervas e suas características medicinais, passando todo o tempo pregando peças nas pessoas, escondendo objetos, trançando crinas e rabos de cavalos e assustando os animais. Não há, porém, diz-se, maldade na astúcia do Saci, que se locomove dentro de um redemoinho. É possível, inclusive, aprisioná-lo em uma garrafa, se conseguir pegá-lo com uma peneira e tirar seu gorro.

Existe até a Capital Nacional do Saci, a cidade de Botucatu, no interior de São Paulo. Lá fica a sede da Associação Nacional de Criadores de Saci, e é comum os moradores garantirem que já viram ou criam seus próprios sacis (huahuahua).

Então, feliz Dia do Saci e que o Brasil continue tentando suplantar lendas milenares esmagando suas datas com festejos nacionalmente importantes.

Wagner Miranda
Fonte 1 | Fonte 2Fonte 3 | Fonte 4

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

31 de Outubro? - Dia Nacional da Poesia no Brasil



Você sabia que a poesia tem espaço especial no calendário brasileiro? É isso mesmo! No Brasil, dedicamos um dia para celebrar a poesia nacional. Mas também existem comemorações estaduais e temos uma outra data mundial!

Pois é, a confusão sempre acontece com as comemorações no Brasil e não seria diferente com a poesia. Principalmente quando "intelectuais" modernos tentam expor suas ideologias de gaveta.


O dia nacional da poesia era em 14 de março, no aniversário de Antonio Frederico de Castro Alves (nascido nesta data em 1847), era comemorada em caráter não-oficial, desde 1977, quando o projeto de lei que previa esta data foi arquivado e nunca oficializado.

A partir de 3 de junho de 2015, foi sancionada a lei 13.131 por sugestão do senador Álvaro Dias do PSDB do Paraná, que mudou a data para o aniversário de Carlos Drummond de Andrade em 31 de outubro. Ou seja, Castro Alves ficou sem moral e agora no Brasil, o dia nacional da poesia é em 31 de outubro. Porém, o poeta tem outro dia para ele mesmo que é 20 de outubro, já que nesta data em 1976, em São Paulo, surgia o Movimento Poético Nacional, na casa do jornalista, romancista, advogado e pintor brasileiro Paulo Menotti Del Picchia.


Esta data celebra o profissional, que pode (e deve) ser reconhecido como um artista escritor, que usa de sua criatividade, imaginação e sensibilidade para escrever, em versos, as poesias que faz. 


Além disso, há diversas celebrações estaduais:

- Dia Estadual da Poesia (20 de abril, no Acre, conforme Lei Nº 2.130 de 9 de julho de 2009);
- Dia da Poesia (25 de junho, no Pará, conforme Lei Nº 6.195 de 7 de abril de 1999);
- Dia Estadual da Poesia (8 de agosto, no Amapá, conforme Lei Nº 580 de 21 de junho de 2000);
- Dia Estadual da Poesia (20 de agosto, em Goiás, conforme Lei Nº 14.866 de 22 de julho de 2004, homenageando o aniversário de Cora Coralina);
- Dia Estadual da Poesia (31 de outubro, em Minas Gerais, homenageando o aniversário de Drummond);

- Dia Estadual da Poesia (19 de dezembro, no Mato Grosso,  conforme Lei Nº 7.776 de 26 de novembro de 2002, homenageando o aniversário de Manoel de Barros).

Mas nenhuma das datas (20 ou 31 de outubro nacionais ou as várias datas estaduais) suspende-se as atividades para lembrar da importância da poesia. O poeta continua trabalhando e comemorando sua importância.


Porém, diferentemente da confusão de datas no Brasil, o dia mundial da poesia é em 21 de março. Criado pela UNESCO, em 1999,  com o objetivo de estimular a produção e celebrar a poesia como forma de arte em todo o mundo.

Wagner Miranda

31 de Outubro - Dia da Dona de Casa


A dona de casa é vista na cultura ocidental, tradicionalmente, como a mulher que tem como ocupação principal, trabalhar em casa com as tarefas domésticas, como cuidar dos filhos, limpar a casa, a compra de alimentos e outros itens, a preparação de alimentos, administração ou parte do orçamento familiar, e assim por diante. Também conhecida como “dona do lar”, ou simplesmente “do lar”, a dona de casa tem um dia dedicado somente a ela, em comemoração a todo o seu esforço e aos cuidados com a casa. No dia 31 de outubro é comemorado o dia desta “supermulher”, que luta diariamente para manter a ordem familiar e o funcionamento da residência, sem ao menos receber salário ou tirar férias.

Como se sabe, na família o que mais importa é a união e a parceria. Hoje em dia, se tornou comum as mulheres irem para a rua procurar o sustento da família enquanto é o homem que assume as tarefas domésticas. De acordo com a tradição, o homem é educado para administrar a casa financeiramente, porém, quando é preciso, o homem deve ser capaz de transferir estes conhecimentos para a rotina doméstica,  podendo cuidar do lar tão bem quanto a mulher.

Não se sabe ao certo a história sobre a origem do dia da Dona de Casa. O mais provável é que tenha a ver com alguma personalidade da cultura popular, que acabou por ficar marcada no imaginário das pessoas.

Na cidade do Rio de Janeiro, no entanto, a data foi oficializada a partir do Decreto de Lei nº 5.756, de 16 de junho de 2014, porém não no dia 31 de outubro. As Donas de Casa Cariocas celebram o seu dia em 3 de abril, por decisão do projeto do vereador Marcelo Piauí.

Mas ser dona de casa em tempo integral não significa que a mulher deixa de evoluir por conta de estar em casa, pois mesmo cuidando do lar, do companheiro e dos filhos a mulher pode e deve ir em busca de sua evolução através de aprender novas coisas: estudar; fazer cursos alternativos; se desenvolver em seus talentos; descobrir novos talentos; se trabalhar internamente; participar de grupos alternativos; desenvolver o hábito da leitura; aprender a lidar com computador; cuidar de sua saúde; cuidar de sua aparência, em fim, ir além do comum do dia-a-dia e realmente fazer algo que a impulsione como mulher e não somente como dona de casa.


Em setembro/2011 entrou em vigor a Lei 12.470/2011 que possibilitou à dona de casa, de baixa renda, contribuir com a Previdência Social e garantir os principais benefícios previdenciários como aposentadoria por idade, por invalidez, auxílio-doença, pensão por morte, salário maternidade e auxílio-reclusão, exceto a aposentadoria por tempo de contribuição.

Wagner Miranda

Fonte 1 | Fonte 2 | Fonte 3 | Fonte 4 | Fonte 5 | Fonte 6

domingo, 29 de outubro de 2017

Reforma Protestante


A Reforma foi um movimento burgo-religioso iniciado em 15-7 pelo pedreiro e monge Martinho Lutero e que mudou os fundamentos do Cristianismo, ops, foi um movimento reformista cristão culminado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, protestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco Solas.

Os fiéis que o ouviram foram tomados de um frenesi religioso sem precedentes, ops, Lutero foi apoiado por vários religiosos e governantes europeus provocando uma revolução religiosa, iniciada na Alemanha, estendendo-se pela Suíça, França, Países Baixos, Reino Unido, Escandinávia e algumas partes do Leste europeu, principalmente os Países Bálticos e a Hungria. A resposta da Igreja Católica Romana foi o movimento conhecido como Contrarreforma ou Reforma Católica, iniciada no Concílio de Trento.

Lutero enfrentou um problema crônico de falta de fundos, e finalmente deu um ultimatum ao bispo: Uma Igreja só não dá, sai muito caro. Por que não dividimos em duas?, ops, o resultado da Reforma Protestante foi a divisão da chamada Igreja do Ocidente entre os católicos romanos e os reformados ou protestantes, originando o protestantismo.

Após a reforma de Martinho (e sua morte) muitos outros arquitetos vieram ajudá-lo já que a igreja estava muito pequena e as paredes estavam cheias de rachaduras. Um desses arquitetos foi Calvino que reformou a igreja fazendo um segundo andar, logo depois Jonh Knox veio ajudar apoiando Calvino na reforma. Após a segunda reforma da igreja alguns pedreiros brigaram com os arquitetos e resolveram sair construindo outras igrejas, assim até hoje vários e vários pedreiros se magoam por algum motivo e constroem outras igrejas, esses pedreiros (os mais recentes) são chamados de Pentecostais e/ou Neo Pentecostais, nas suas igrejas costumam dizer que todos devemos ser ricos, e ser pobre ou doente é coisa do diabo, ops, uma vez que a Reforma Protestante desconsiderou e combateu diversas doutrinas e dogmas católicos, e provocou as maiores divisões no cristianismo, a Igreja Católica Romana convocou o Concílio de Trento (1545-1563), que resultou no início da Contrarreforma ou Reforma Católica, na qual os jesuítas tiveram um papel importante. A Inquisição e a censura exercida pela Igreja Romana foram igualmente determinantes para evitar que as ideias reformadoras encontrassem divulgação em Portugal, Espanha ou Itália, países católicos. As igrejas protestantes por sua vez, ao mesmo tempo em que propagavam a bíblia e suas ideias graças a invenção da máquina tipográfica de Johannes Gutenberg, também tornaram proibidos uma série de livros católicos e outros que contrariavam suas doutrinas. Edward Macnall Burns observou que "do câncer maligno da intolerância", "não escaparam católicos nem protestantes".

Não seja herege e obedeça a verdade única e divina: Abra outra igreja!!!

sábado, 14 de outubro de 2017

Analfabetos funcionais - Maior produção brasileira!


Com a explosão da internet acoplada ao despontar de uma nova era comunista no Brasil, a educação sofreu grandes impactos e teve retirada de seu currículo, matérias de suma importância na formação intelectual de cada indivíduo como Educação Moral e Cívica - a qual levava a criança a ter respeito aos símbolos nacionais, Artes - que leva as crianças a compartilharem seus momentos com outras crianças, aprendendo a conviver com as diferenças, OSPB (Organização Social e Política Brasileira) - que treinava a juventude para o patriotismo, Religião (a versão histórica, nunca doutrinária) - apresentava às crianças opções para uma escolha futura de sua fé, respeitando as diferenças. O esquerdista Lula tinha novos planos para a nação brasileira, e este passava pelo crivo de uma geração de alienados, cheios de patentes nas paredes. E a melhor forma de mudar uma nação, é mudando a mente juvenil para se tornarem adultos domesticados. Técnica utilizada por grandes crápulas como Hitler.

Diante das sementes lançadas, as colheitas futuras seriam certas e na Conferência Brazil 2017 o Prof. Olavo afirmou que 80% dos acadêmicos brasileiros apresentam algum grau de analfabetismo funcional. E estamos falando dos acadêmicos!

E segundo estudo conduzido pelo IPM (Instituto Paulo Montenegro) e pela ONG Ação Educativa - "Alfabetismo e o Mundo do Trabalho", há cinco níveis de alfabetismo funcional: analfabeto (4%), rudimentar (23%), elementar (42%), intermediário (23%) e proficiente (8%). O grupo de analfabeto mais o de rudimentar. [O grupo de analfabeto mais o de rudimentar são considerados analfabetos funcionais].

Sendo assim, apenas 8% dos brasileiros têm plenas condições de compreender e se expressar!

Por este motivo, tenho tantos problemas com os textos que escrevo e muitos me vem com papinhos de preconceito, racismo, homofobia... quando seus cérebros podem estar 'com defeito'... Então, antes de me criticar, analise se você está entre os 8% ou os 92%!

(NOTA: Só pra esclarecer, já que alguns "doutores intelectuais - gênios", leem esta matéria, este último parágrafo é uma crítica, pois o real motivo da matéria não é dizer se a pesquisa é verdade ou mentira, mas se trata de um levantamento sério que necessita urgentemente de uma reavaliação do nosso sistema de ensino).


Wagner Miranda


Ainda existem anjos


Ainda existem humanos.

Aprendemos a acreditar em lixos e chamá-los de heróis que nunca foram.
Mas nos momentos mais difíceis, onde a mídia não está dando cobertura ou dando moral que nunca tiveram de fato, humanos de verdade surgem e sempre os esquecemos. Ela precisou perder a vida para ter seu nome na galeria de heróis, mas outros grandes heróis também estavam lá e conseguiram salvar outras crianças. Ela foi a heroína numero um, a que mais se arriscou e chegou a perder a vida, mas a mídia vai parar de falar e será lembrada apenas por aqueles que estão vivos graças ao seu sacrifício.

Porém, o animal que fez tamanho ato de maldado será lembrando no futuro e terá até direito a programas de televisão e pesquisas, já que os humanos costumam dar mais valor a lixos psicóticos, lixos midiáticos, lixos que se destacam não pela capacidade intelectual, ou moral, ou ética, mas pela habilidade corporativa de fazer outros ficarem ainda mais ricos que seus próprios bolsos podem encher.

Esta mulher sim, merecia uma rua, um bairro ou uma cidade em seu nome, uma estátua no centro da cidade onde fez tamanho ato, um prêmio internacional por bravura, um programa de televisão mostrando para os outros humanos que em meio ao lixo midiático existem anjos.
Wagner Miranda

Pedofilia imposta pelo Comunismo de Marx para acabar com a família


"“Abolição da família! Até os mais radicais ficam indignados diante desse desígnio infame dos comunistas. Sobre que fundamento repousa a família atual, a família burguesa? No capital, no ganho individual. A família, na sua plenitude, só existe para a burguesia, mas encontra seu complemento na supressão forçada da família para o proletário e na prostituição pública. A família burguesa desvanece-se naturalmente com o desvanecer de seu complemento. E uma e outra desaparecerão com o desaparecimento do capital.” [1]

Segundo o Manifesto, qual o fundamento da família? O capital. Como acabar com ela? Acabando com o capitalismo e a propriedade privada. Enquanto a moral judaico-cristã compreende a importância da família e luta para que ela se mantenha coesa, o comunismo a despreza, a desvaloriza e lança contra ela seu veneno.

A Lei da Palmada nada mais do que afronta marxista contra a autoridade paterna. O feminismo nada mais do que a luta de classes transferida para a identidade sexual. A defesa da união entre pessoas do mesmo sexo, nada mais é do que uma tentativa maquiavélica de anular o sentido de família, pois se família é qualquer coisa que se denomine família, então nada é família.

Friedrich Engels, buldogue de Marx, escreveu:

“A monogamia não aparece na história, portanto, como uma reconciliação entre o homem e a mulher e, menos ainda, como forma mais elevada de matrimônio. Pelo contrário, ela surge sob a forma de escravização de um sexo pelo outro, como a proclamação de um conflito entre os sexos, ignorado, até então, na pré-história. (…) Hoje posso acrescentar: o primeiro antagonismo de classes que apareceu na história coincide com o antagonismo entre o homem e a mulher na monogamia; e a primeira opressão de classes, com a opressão do sexo feminino pelo masculino”[2]

E continua:

“A família individual moderna baseia-se na escravidão doméstica, franca ou dissimulada, da mulher, e a sociedade moderna é uma massa de cujas moléculas são as famílias individuais”[3]

O Manifesto é também entre  outras coisas um libelo contra a família, cujas ideias são ampliadas na obra de Engels:

“Então é que se há de ver que a libertação da mulher exige, como primeira condição, a reincorporação de todo o sexo feminino à indústria social, o que, por sua vez, requer a supressão da família monogâmica como unidade econômica da sociedade”[4]

Bastaria ouvir minha esposa para desmascarar tamanha besteira. Entretanto, e infelizmente, nem sempre as novas gerações são tão sábias quanto ela, e, inoculadas com veneno marxista, muitos só mais tarde compreendem as bênçãos de uma família estável em um mundo instável.

No entanto, o marxismo não é apenas inimigo da família. Ele é inimigo do conceito de família. Não devemos ficar admirados se em uma cultura marxizada a família sofre todo tipo de ataques e distorções.

As ideias marxistas sobre família fizeram parte da Revolução Bolchevique: “Muitos bolcheviques acreditavam que a família, sendo uma instituição baseada na propriedade privada, seria abolida em uma sociedade comunista, com o Estado assumindo a responsabilidade de cuidar das crianças e do trabalho doméstico”[5]. E se os pais educassem seus filhos conforme seus valores e não conforme os valores da revolução marxista, então esses filhos podiam rebelar-se com o total apoio do Estado. “Se os pais persistem em transformar os filhos em pequenos senhores ou em místicos bitolados, então as crianças tem o direito ético de abandoná-los”[6]. É marxismo pisando a ética judaico-cristã, o mandamento de honrar pai e mãe. Em primeiro lugar vem a submissão ao Estado-Leviatã.

Na década de 1980, Marilena Chauí lançou seu livro “O que é ideologia?” E nele já estavam contidos ataques à família, bem como a defesa da união homossexual. Temos hoje o resultado de décadas de doutrinação.

Se a ideologia [capitalista] mostrasse todos os aspectos que constituem a realidade das famílias no sistema capitalista, se mostrasse como a repressão da sexualidade está ligada a essas estruturas familiares (condenação do adultério, do homossexualismo, do aborto, defesa da virgindade e do heterossexualismo, diminuição do prazer sexual para o trabalhador porque o sexo diminui a rentabilidade e produtividade do trabalho alienado), como, então, a ideologia manteria a ideia e o ideal da Família? Como faria, por exemplo, para justificar uma sexualidade que não estivesse legitimada pela procriação, pelo Pai e pela Mãe? Não pode fazer isto. Não pode dizer isto[7] Para ela a família não é uma necessidade da estrutura social. É apenas uma conveniência humana que se opõe á religião de Marx. Precisa ser destruída.

Este é mais um dos pontos que torna o Manifesto Comunista o pior livro do Ocidente. Sua defesa do Estado monstro, seu anti-cristianismo, sua defesa da violência política, são motivos suficientes para que sua leitura seja, senão suprimida, pelo menos contraindicada. Sua venda deveria ser feita sob um rótulo: “Cuidado, esta leitura é prejudicial à sua existência e à existência de toda a humanidade”. A história universal que o diga. E nossa história também.

[1] MARX, K. e  ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Global Editora, 1986, p. 32
[2] ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Rio de Janeiro: Best Bolso, 2014, p. 79
[3] ENGELS, Friedrich. Op. Cit. p. 89
[4] Op. cit. p. 90
[5] SMITH S.A. Revolução Russa. Porto Alegre: L&PM, 2013, p. 160
[6] SMITH S.A. Op. Cit p.163
[7] CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1980, p. 118"
Related Posts with Thumbnails